A Propriedade

As vinhas na Região Demarcada do Douro pertenceram à família Horta Osório durante mais de três séculos e compreendem um total de 55ha.

Provida da mais moderna tecnologia, a Adega H.O. é gerida por um grupo de profissionais especializados que aliam a sabedoria, à arte e tradição local, as novas técnicas e tendências. Para reduzir o impacto ambiental do processo, as águas utilizadas na produção vinícola são tratadas e reutilizadas.

Para além dos espaços técnicos e de serviço, a Adega tem ainda um espaço administrativo, um laboratório, um espaço comercial e uma sala de provas, que se situa no piso superior e permite admirar a paisagem do Douro, particularmente a vista da Serra do Marão e da própria Quinta da Casa Agrícola Horta Osório. Esta sala tem todas as condições para a realização de eventos e provas no âmbito da atividade do enoturismo.

As Vinhas

A Quinta Principal, Quinta dos Osórios, localizada na margem direita do Rio Corgo, tem 40 ha de vinha plantada. Numa altitude que vai de 140 a 400 metros, a vinha foi plantada em patamares com apenas uma linha de videiras em cordão unilateral, com sistema de drenagem e um sistema de rega gota a gota, que apenas é accionado em casos de extrema seca. Em respeito ao ambiente e à biodiversidade local, a água utilizada na rega provém do tratamento das águas na ETAR da adega e da bombagem do Rio Corgo. Nesta Quinta de solos xistosos foram plantadas as castas de tintos Touriga Nacional, Touriga Franca e Sousão. As castas de brancos situam-se a maior altitude, e com menor exposição solar que as castas tintas, e foram plantadas o Rabigato, Viosinho, Verdelho e Arinto.

A Quinta do Pontão, onde está localizada a casa da família, situa-se no centro da Vila da Cumieira, e tem 5 ha de “vinhas velhas” com as melhores castas durienses em solos xistosos.

A Quinta do Rossaio, também na Cumieira, virada a Norte, a uma altitude de cerca 380m, tem igualmente plantadas as melhores castas da região.

Os restantes 10 hectares de vinhas velhas , que incluem a Quinta da Matrona em Alvações do Corgo estão dispersos em várias parcelas de solos xistosos, plantadas há mais de setenta anos com as melhores castas da região demarcada do Douro.